DSC_0004

Prancha de bodyboard e pés de pato. Da Decathlon.

Até ao início da minha idade adulta passei sempre umas férias grandes fantásticas na Costa de Caparica (“de” e não “da”… mas soa estranho, eu sei). Eram 3 a 4 gloriosos meses, onde a vida corria lenta, com muita praia e poucas complicações. Foi aí que surgiu o bichinho do mar. Entretanto ele esteve muitos anos adormecido. Felizmente ressuscitou.
Armado ao cota jovial e cheio de pica (o que até é verdade), e não tendo dinheiro para um Porsche, já em 2017 comprei uma prancha de bodyboard, umas pés de pato e um fato de neoprene (hei-de voltar a este tema), tudo na Decathlon. E o que tem acontecido? Atiro-me ao mar com unhas e dentes, mas ele não me tem dado tréguas. Tal como me diz um amigo surfista, é como se estivéssemos dentro de uma máquina de lavar roupa. Saímos da água meios zonzos mas com a cabeça limpa, sempre a desviarmo-nos dos putos (e também de algumas miúdas) que nos dão um baile a apanhar ondas.
Homem ao mar? Sempre!

Written by admin

    3 Comments

  1. Rui October 15, 2017 at 7:02 pm Reply

    Berbatanas na linguística do bodyboard chamam-se “pés de pato” pois tem características diferentes. 😊👍

    • marckhom October 15, 2017 at 9:22 pm Reply

      Obrigado pelo teu reparo, tens toda a razão. Vou já corrigir. 😉

    • marckhom November 1, 2017 at 3:45 pm Reply

      Viva, Rui. Eu já tinha respondido ao teu comentário. Irei ver as definições para perceber o que se está a passar…

Leave a Comment