Um Mundet para descobrir e degustar.

Ultimamente tenho rumado muito ao Sul. À outra margem do Tejo, convenhamos, não vá ninguém achar que eu ando pelas paragens da Antárctica.

Qual o motivo de tantas peregrinações sulistas? Uma delas explica-se pelo apelo do coração, mas é algo que eu não vou explicar agora (aliás, estas coisas do coração muitas vezes são inexplicáveis). Há outras razões: profissionais e lazer. Por vezes ambas são conciliáveis, por muito incrível que possa parecer. E, sendo assim, eis-me na porta de entrada do Mundet Factory.

Para os mais preguiçosos, que não se dão ao luxo de clicar num link (sim, eu dou a papinha toda feita), Mundet Factory é um restaurante no Seixal. Antes de se dedicar às concepções gastronómicas, foi só a maior corticeira do mundo! Coisa pouca, portanto…

Comecemos pelo espaço: é muito amplo, é descontraído, tem um toque vintage (é tendência, eu sei) e está orientado para a baía do Seixal. Numa só frase: está-se bem. De facto, não tinha imaginado nada assim…

E a comida? Boa pergunta que fazem, mas eu vou falar só por mim. Depois das entradas de uns chips com guacamole, deliciei-me com um tataki de espadarte, acompanhado por uma sopa de miso. Miam, miam, estava muito bom. Ainda provei um taco de uma colega que não quis mais, mas o meu tataki é que estava no ponto.

Rematei com um arroz doce servido num vaso, polvilhado com terra! Ok, não era terra. Era cacau aos torrões mas o efeito pretendido era esse mesmo. Com imaginação e um bom nome, tudo se reinventa.

DSC_0656

Pronto, já sabem que o Sul também está a dar. Aliás, é só ver este post, sobre um espaço muito acolhedor no Barreiro.

E agora um vídeo:

Now in english:

Lately I have been a lot on the south side. On the other side of the Tagus, let’s face it, do not let anyone else think that I am walking along the Antarctic. What is the reason for so many southern pilgrimages? One of them is explained by the appeal of the heart, but it is something that I will not explain now (incidentally, these things of the heart are often inexplicable). There are other reasons: professionals and leisure. Sometimes both are reconcilable, however incredible it may seem.

So let’s talk about Mundet Factory, a restaurant in Seixal. Many years ago it was the largest cork producer in the world! Let’s start with the space: it is very wide, it is relaxed, it has a vintage touch (it is a trend, I know) and it is facing the Seixal bay.

Let’s talk about the food. After some chips with guacamole, I was delighted with a swordfish tataki, accompanied by a miso soup. It was delicious. I finished with sweet rice served in a pot, sprinkled with earth! Okay, it was not dirt. It was crushed cacao but the intended effect was the same. With imagination and a good name, everything reinvents itself…

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

w

Connecting to %s