Segunda vida, primeira praia.

sunset carcavelos beach

Rede e voleibol. Na praia de Carcavelos (foto de Bruno Barão da Cunha).

O título deste post é um pouco exagerado, eu sei. Mas, de exagero em exagero, chega-se à praia. Neste caso a de Carcavelos.

E como vim aqui parar? Sem entrar em detalhes muito pessoais sobre a minha vida privada, há cerca de 2 anos e meio aterrei em plena linha de Cascais/Estoril e, desde logo, tive uma atracção por esta longa praia, com um areal convidativo e ondas generosas, a olhar para o resplandecente Atlântico, polvilhado, aqui e ali, de encantadoras sereias. Ok, estou a ser duvidosamente poético, mas o impacto que nestes anos a praia teve em mim foi vital para o meu bem-estar e estado de espírito.

Só, ou bem acompanhado, muito tenho andado no paredão que liga, em serpentina marítima, Carcavelos a Paço de Arcos. Em passo acelerado, a sentir ventos e brisas, sentado no muro do Forte de São Julião da Barra para assistir a magníficos ocasos épicos solares (tanto adjectivo!), a mergulhar nas ondas ou a praticar bodyboard, a beber uma (só uma?) imperial numa esplanada (pode ser nos Gémeos ou no Moinho), a ver o mar revolto ou as estrelas em noite limpa, e até namorar, Carcavelos tem-me presenteado com muitas e boas sensações.

Se é para continuar a viver a minha segunda vida, não há que ter dúvidas: vou continuar a visitar a minha primeira praia. Até porque, como diz o ditado popular, “Há mar e mar, há ir e voltar”.

E agora um vídeo refrescante. Sobre a praia de Carcavelos, evidentemente:

And now short version in english:

About two and a half years ago I landed in the middle of Cascais / Estoril coast and, from the beginning, I had an attraction for this long beach, with an inviting sea and generous waves, looking to the resplendent Atlantic, sprinkled here and there by enchanting mermaids. Okay, I’m being dubiously poetic, but the impact that the beach had on me was vital to my well-being and state of mind.

Walking at an speedy pace, to feel winds and breezes, sitting on the wall of the Fort of São Julião da Barra to watch magnificent sunsets, diving in the waves or practicing bodyboard, drinking one (only one?) beer on an esplanade, to see the rough sea or the stars in clean night, and even to date, Carcavelos has given me with many and good sensations. 

Leave a Reply