Diz sim ao Dim Sum.

De há uns bons anos para cá os restaurantes chineses caíram em desgraça desde que uma inspecção da ASAE ficou com os olhos em bico por causa de condições higiénicas muito precárias. A partir dessa altura (2006 em diante) muitos fecharam mas outros reciclaram-se em japoneses, aproveitando a crescente popularidade do sushi. Mas convenhamos que reciclar um chinês em japonês nem sempre significa um acréscimo de qualidade gastronómica.

Continuam a existir bastantes restaurantes chineses. Mas há uns que, desde o início, se destacaram pela diferença da sua oferta. São os restaurantes de Dim Sum. Não há muitos na zona da Grande Lisboa (e no resto do país também acredito que não). Mas, antes de mais, o que é o Dim Sum? Eis a versão simples do site lifecooler:

Os restaurantes chineses tiveram a sua época e passaram de moda. Mas eis que, há alguns anos, começámos de novo a ser cativados para este tipo de cozinha. A razão? É leve e saudável, vem em cestos aquecidos e é cozinhada ao vapor. Servidos em pequenas porções, com a forma de pastéis ou bolinhos, os Dim Sum (“Dim” significa pequeno e “Sum” refere-se a amor e cuidado) eram servidos nas casas de chá, fazendo parte do característico “Yum Cha”, uma refeição ligeira, matinal, muito apreciada nas regiões de Cantão, em Hong Kong e Macau. Segundo a tradição, os Dim Sum acompanham com chá. Bom apetite.

Por essa altura, e graças à Time Out Lisboa, descobri, em Oeiras, um restaurante de Dim Sum, o Yum Cha Garden. Cozinha cantonesa com sugestões exóticas e muito apetecíveis, servidas em recipientes com 3 ou 4 unidades directamente saídas do vapor. Tinha de provar! E gostei. E de vez em quando vou lá para repetir.

Voltei. Comprovo com as fotos. E continuo a gostar, e até fiz uma nova fã deste tipo de cozinha. Agora o tal restaurante chama-se Macau Dim Sum. A decoração não tem nada de especial, mas a ementa e a qualidade mantém-se. Ah, os preços não são indigestos. É por estas e por outras que eu digo sim ao Dim Sum.

Experimentem. Se gostarem não tenham receio de também dizer “Sim”. E agora um vídeo para abrir o apetite:

Short version in english:

Chinese restaurants have been in disgrace for a good few years since an inspection found poor sanitary conditions. From that time (2006 onwards) many closed but others recycled themselves in Japanese, taking advantage of the growing popularity of sushi. But let’s agree that recycling a Chinese into Japanese does not always mean an increase in gastronomic quality. There are still a lot of Chinese restaurants. But there are some who, from the beginning, stood out because of the difference in their offer. It’s Dim Sum’s restaurants. There are not many in the Greater Lisbon area.

Chinese restaurants have had their time and gone out of style. But behold, a few years ago, we began again to be captivated for this type of cuisine. At that time, and thanks to Time Out Lisboa, I discovered, in Oeiras, a Dim Sum restaurant, the Yum Cha Garden. Cantonese cuisine with exotic and very appetizing suggestions, served in containers with 3 or 4 units directly out of the steam. I had to prove it! And I liked it. And every once in a while I go there to repeat.

I returned. And I still like it, and I even made a new fan of this type of food. Now this restaurant is called Macau Dim Sum. The decor is nothing special, but the menu and quality remains. Oh, the prices are not indigestible. Try it!

Leave a Reply