Não sou nada de licores. Mesmo nada. Tinha esta garrafa no frigorífico há mais de um ano. Hoje acabei com ela. Foram apenas dois cálices. E só bebi porque não tinha nada doce em casa e porque estava bem fresco. Só assim é que consigo beber um raro copo de licor. Este era da figueira e diz-se artesanal. Nunca tinha bebido. De facto sabe a figos. Mas prefiro o fruto à bebida.
Esta bebida fez-me lembrar a célebre amêndoa amarga. De amarga não tinha nada. Era doce como o raio que a parta! Só era bebível tirada do frigorífico ou com gelo e com umas gotas de sumo de limão. Durante uns anos foi um ritual de final de refeição (almoço aos fins de semana) em casa dos meus pais. Felizmente, algum tempo depois começaram a entrar outro tipo de bebidas bem mais interessantes. Mas isso é outra história, provavelmente para outro post.
E agora tomem lá um vídeo bem licoroso (e de café!):

Written by admin

Leave a Comment