Shave the beard.

Nivea+Gillette.

Nivea+Gillette.

Actualmente faço a barba quase todos os dias. Não gosto. Nunca gostei. Mas agora forço-me a fazê-lo. E o cabelo vai na mesma leva. No banho, sem cantorias…

Há pouco tempo troquei de máquina de barbear. Agora tenho uma Gillette Fusion5 Proshield. Não posso dizer que é chique porque isso soa a outra marca.  Não desgosto, mas estava à espera de uma maior eficácia em relação à última que tive. Não noto nada de mais, mas assumo que é mais suave, apesar de lixar sempre a pele, mas isso é condição de ser homem, porque as mulheres têm outros pincéis…

Agora a diferença está no novo gel de barbear! Desde já digo que só uso Nivea.

Há pouco tempo resolvi comprar outra variante (acho que fui pelo preço). É o Gel de Barbear Deep Clean Shave. Gosto, mas talvez seja líquido de mais. Para mim não é problema pois, como já disse, só faço a barba (e o cabelo) no duche. Desliza bem e faz a barba que é uma limpeza. E a coisa fica feita com distinção.

E agora um vídeo com dicas para um melhor barbear.

Abre-te Sésamo!


O abre-latas caminhante.

Há mais de um ano que tinha comprado o abre-lata das fotos. É do IKEASó hoje é que consegui descobrir como é que funciona! Por algumas vezes andei às voltas com ele e com algumas latas mas, porra, nunca descobri como é que a cena se processava. Eu e o meu jeitinho para estas merdas…

Como tive de abrir uma lata, sem querer usar o meu Victorinox, e porque sou teimoso, lá descobri como é que esta gaita funciona! E foi fácil. Fui ao youtube (bid deal). Eureka! Encontrei um vídeo mágico que iluminou os meus neurónios e pronto, mistério resolvido.

Ei-lo:

É boss a marcar.

É preciso sublinhar isto: quando é para realçar uma palavra ou uma frase não há nada como um marcador Stabilo Boss Original. São úteis, adaptam-se bem a qualquer mão, têm um design bem cool, e, no meu caso, gramo à brava o som viciante quando se fecha a tampa (eu passo a vida a abrir e fechar o raio do meu marcador verde).

Na foto o Stabilo Boss está em boa companhia. Tem sempre por perto uma Parker Jotter (já falei dela aqui). É uma dupla imbatível. A caneta escreve e rabisca, o marcador destaca o que é mais importante e urgente.  E eu fico mais contente.

E eis um vídeo marcante:

Tablet? Só se for de chocolate.

Este é o 1º post neste blog em que não serei muito generoso com um produto (mas não com a marca). Tenho um tablet. É um Samsung SM-T705 Galaxy Tab S 10.5 (isto é a denominação completa!). Foi uma oferta. Eu explico: dei este tablet a alguém, que depois mo deu de volta (não vou contar o porquê da coisa, como devem calcular).

É bonitinho, tem uma óptima imagem, o tamanho é adequado para ver vídeos e andar nos chats, tira boas fotos. Acontece que devo ter tido algum azar com ele: a bateria vai-se num instante e, pior do que isso, desliga-se sem mais nem menos quando a bateria chega abaixo dos 50%. Desliga-se mas reinicia-se. Mas depois não sai do mesmo. É uma gaita! Não o mandei para a garantia porque quando ele começou neste apaga-apaga já a garantia tinha expirado.

Mas isto levanta uma outra questão: os tablets são mesmo necessários? Eu acho que não e explico porquê:

  1. Porque raio preciso de um tablet se eu tenho um smartphone gigante, que faz tudo o que o tablet faz e ainda melhor?
  2. Porque raio preciso de um tablet se tenho um laptop pequeno e leve, e que me proporciona mais funcionalidades do que o tablet?

Convenhamos, não vejo ninguém a fazer chamadas, nem a escrever textos ou fazer tabelas de excel, num tablet. Por isso, levanto de novo a questão: tablets para quê? Por mim só se for de chocolate. Mas negro, se faz favor.

Ok, porque não quero ser muito tendencioso, eis aqui dois vídeos com as vantagens e as desvantagens dos laptops e dos tablets:

Tic-tac, tic-tac, tic-tac…

Swatch Irony Chrono YCS4004AG:AL

Swatch Irony Chrono YCS4004AG/AL, mas sem a bracelete original (esta é de borracha).

A partir de um certo momento da sua vida começou a viver com o Big Ben dentro de si (de uma forma metafórica, como é fácil de perceber). Os ponteiros do mostrador sempre avançaram na mesma direcção, mas tinha a sensação que agora se movimentavam de uma forma mais rápida e fluida. Ouviu nas notícias algo sobre a mudança do mecanismo do famoso ícone de Londres. Mas era capaz de ser um boato. Ou então tinha sonhado com isso. Seja como for, queria continuar a viver com estilo, mesmo se o Big Ben resolvesse parar num estático segundo. Foi então que se lembrou de um relógio de pulso antigo. Ainda funcionava e, como sempre, atrasava-se. Não hesitou. A partir desse momento nunca mais o tirou do pulso. Tinha descoberto a poção do seu rejuvenescimento.

E agora uma música que nos fala do, por vezes, inevitável desacerto da vida:

 

Screw it! But gently…

DSC_1204

Saca-rolhas Screwpull. Uma forma fácil e elegante de tirar a rolha de uma garrafa de vinho.

Para muitos, sacar a rolha de uma garrafa pode ser um pesadelo. Um saca-rolhas tradicional não é fácil de usar, tem de se fazer muita força, pode magoar os dedos e a rolha corre o risco de se esfarelar com tanta tentativa frustrada. Mas há boas soluções, e ainda por cima simples, bonitas e com um toque de sofisticação. E não tem de ser um artigo caro e profissional. Basta um mais barato como o que mostro na foto, e que tenho em minha casa. Faz um brilharete de tão fácil que é. Vejam o vídeo:

Para saberem mais sobre a origem e a história dos saca-rolhas, vão ao site de Le Creuset. Ou então é só clicar aqui. Não custa nada! É como abrir uma garrafa sem esforço e num piscar de olhos. Mas, para os mais abonados, e com aspirações mais pro, eis um vídeo elucidativo:

Very short version in english:

Continue reading

Esquadrões de combate às cáries dentárias.

Desde há cerca de 2 anos e meio que tenho andado num virote de regeneração/renovação. É algo que me tem saído do pêlo e da carteira. Espero que em breve compense ainda mais, se bem que há um outro obstáculo a contornar/superar, mas que eu não irei abordar aqui (se bem que está ligado à minha parte profissional).

Serei o Bruno 2.0? Ok, nem tanto. Mas deve andar aí pelo Bruno 1.6 ou 1.7. É um bom upgrade, admito. Mas sou capaz de mais.

E o que tem a ver o combate à cárie com isto? Bem, tem tudo. Digamos que descobri há pouco mais de 1 ano que a minha saúde dentária e bucal estava cheia de sorrisos amarelos. Aparentava estar bem, mas não estava. Sendo assim, eis que tenho passado a vida no dentista, o que é algo que tem causado calafrios à minha conta bancária. Adiante…

Sendo assim, qual Captain Kirk, orgulhoso da sua Enterprise, aqui vos apresento a minha mais recente frota capaz eliminar toda a espécie de cárie entre os espaços interdentários. Tal como mostrei num post publicado neste blog, tenho bombardeiros, caças, e também carros de assalto e de intrusão/expulsão.

O caça é uma escova Aquafresh, de cerdas de rigidez média. Os carros de assalto são escovilhões Elgydium, bastante eficazes para actuarem sem misericórdia nos espaços entre dentes e gengivas. Há ainda uma espécie de carro de assalto e limpeza, que é uma escova Gum de um só tufo de cerdas rígidas. Não se iludam em relação a esta última escova. Pode ter nome de pastilha elástica (chewing gum) mas tem uma aplicação muito diferente e cirúrgica.

Prontos para limpar e conquistar o espaço interdentário? Eu e o Captain Kirk estamos!