A marca do Leão.

Quando criei este blog nunca tinha passado pela minha cabeça falar de futebol. É um desporto de que gosto mas não sou fanático.

Hoje presto a minha homenagem ao Sporting Clube de Portugal, um clube que há um ano sofreu um inimaginável ataque, provavelmente instigado por uma megalomania doentia que destilava mau senso e exibia um insuportável culto da personalidade.

Quem diria que um ano depois o clube seria capaz de ganhar dois troféus importantes, e isso apenas na sua actividade principal: o futebol.

Mas ganhou! Parabéns SCP!

A juventude em estado líquido.

SUNLOVER COLLAGEN. Beber para não envelhecer?

Um dia destes, numa merecida pausa ao final da tarde, fui ao frigorífico buscar algo para refrescante para beber. Sentei-me na marquise e absorvi a brisa vespertina na companhia de SUNLOVER COLLAGEN, de amendoins crus, de sementes de girassol e de um livro.

Eu nunca tinha provado esta bebida. Foi uma oferta que recebi com agrado. E, na ausência da pessoa que me ofereceu a latinha, vivi uma urbana mas bucólica nostalgia, picando os amendoins e as sementes de girassol. O tempo passa… Mas este líquido tem propriedades que combatem a infalível passagem temporal. É o que diz o texto do site:

SUNLOVER COLLAGEN é a verdadeira inovação anti-aging em estado líquido. Fácil de tomar, esta bebida nutri cosmética tem um agradável sabor a pêssego branco – uma fruta oriental que ajuda a nutrir o corpo por ser uma fonte de vitaminas, minerais e fitonutrientes.

Banha da cobra ou bebida milagrosa? Bem, deverá ter algum fundo de verdade mas, obviamente, é algo para se levar (beber) com conta, peso e medida. No entanto, elucidam-me com a composição do produto e como tomá-lo:

Descrição do produto

Com Colagénio Marinho Hidrolisado
ZERO Kcal. 0% açucar (Stevia)
Sem: Conservantes, Gluten e Lactose
Aroma Natural de Pêssego Branco 
Vitaminas B3, B5, B6, B7, C, E e ZINCO

Como tomar?

Beba gelado e agite antes de beber. 
Aconselhamos o consumo de 1 SUNLOVER COLLAGEN por dia (2,5g de colagénio), pelo menos, durante 8 semanas.

Sem ironia, fico impressionado com o segredo de SUNLOVER. Afinal, está tudo no colagénio:

O colagénio, uma proteína, abundante no corpo humano, é a principal responsável por fornecer força e elasticidade à pele, 
ao mesmo tempo que ajuda a substituir as células mortas. Com o avançar da idade, a produção do colagénio começa a 
diminuir naturalmente, originando o envelhecimento cutâneo.

Magistralmente formulada com os princípios ativos do colagénio marinho hidrolisado, o SUNLOVER COLLAGEN promove 
uma ação rápida e de grande absorção, intervindo diretamente no reforço do nível do colagénio no corpo humano. 
O SUNLOVER COLLAGEN, contém elevados índices de vitamina C, que é a principal responsável pelo processo de produção 
de colagénio na constituição física.

Sorvendo as suas últimas gotas, atirei-me de cabeça às últimas páginas Tejo e das suas histórias. Nem bebida, nem o livro se perderam. Afinal ganhei mais tempo de conhecimento, e isso é um belo trunfo anti-aging.

E agora vejam aqui um vídeo sobre o tal livro, que recomendo vivamente, do jornalista e escritor Luís Ribeiro.

Top 3.

Hoje é tempo de um pequeno balanço sobre os posts mais vistos deste blog.

Vamos começar de baixo para cima:

Curiosidade: a primeira e a terceira posições foram obtidas no final de Fevereiro e início de Março, depois de um período em que o blog esteve com falta de crónicas.

Obrigado por continuarem a ler Marca de Homem, que também está no facebook, entre outras plataformas.

Keep on read it!

E agora um som comemorativo, com uma versão espalhafatosa ao piano de uma música icónica de uma banda que eu não gosto!

Welcome home.

A placa da casa é da Homebook.

Já todos nós, pelo menos uma vez na vida, andámos à procura de casa. Ou a ver se nos livramos dela. Ou as duas coisas ao mesmo tempo. E a gaita é que geralmente não sabemos a que porta bater no momento em que nos viramos para o mercado do casario e afins.

Evoluímos bastante desde os tempos imemoriais em que nos abrigávamos em grutas. Mas o princípio é o mesmo: precisamos de um tecto para nos abrigarmos do frio, do vento, da chuva. E, nesse maior aconchego, aposto que a taxa de natalidade começou a aumentar.  Não há nada como o conforto de um bom calor para tirar a roupa e aumentar a prole.

Ok, estou a ser básico. Eu sei, sou homem. Mas não das cavernas. Sei apreciar uma boa casa. Ou ver os defeitos em cada esquina. “Ai o bolor”; “Merda de infiltração”; “Que porra, não se apanha sol neste quarto”. É o que se diz, ou pelo menos é o que se pensa, quando entramos num apartamento gasto pelos anos ou que foi menos abonado na qualidade da sua construção e materiais. Mas, como em tudo, para se ter uma gruta melhor (perdão, casa) há que ter uma carteira mais recheada. Ou um banco mais generoso.

E onde descobrir boas casas? Não digo. Num instante sei que irão bater à porta certa. Welcome!

E agora tomem lá uma casota minimal, sem plástico:

Era uma vez… no Fábulas Café.

No interior do Fábulas Café. Mesas postas para refeições.

Faz todo o sentido começar este post assim: era uma vez… E porquê? Porque fui ao Fábulas Café (não é a 1ª vez). Apesar de estar muito central — num charmoso pátio interior, entre a Rua Garret e a Calçada Nova de São Francisco — é um espaço muito calmo, com várias salas e recantos. A tranquilidade é ainda maior porque lá dentro as redes móveis ficam inoperacionais, tal é a espessura das suas paredes. O stress fica à porta.

Tem carta de comes. Mas também há bebes. Nunca tive o gosto de lá ter provado uma refeição, mas acho que está bem referenciado e tem opções vegetarianas, para quem não quiser entrar no reino da carne. No Fábulas só pode mesmo entrar a conversa mais íntima e o convívio entre amigos. Ninguém poderá ficar agarrado ao telemóvel. Até porque não faz nenhuma falta. E para quem receia não ter uma boa conversa sempre pode inventar uma história. Ou uma fábula, pois este é local apropriado para tal.

E agora tomem lá um desenho animado com uma fábula bem conhecida: