Renova(r) é necessário.

Todos nós somos recicláveis. Tem a ver com o circuito da vida e da morte. Mesmo quando partimos para outro mundo (seja ele qual for), os nossos átomos andarão por cá praticamente para sempre.

É um pensamento estranho, mas é assim, científico. Se nós somos recicláveis, obviamente que tudo o mais também o é, que não haja dúvidas disso. Por isso, não é descabido que um simples papel higiénico também possa ser produzido a partir de “fibras que já viveram uma vida anterior” (palavras escritas na embalagem do papel higiénico Renova recycled).

Por ser um assunto sensível, e dado a comentários maliciosos, ao longo dos anos esta marca tem inovado nos seus produtos, galgando fronteiras, quebrado tabus e conferindo glamour ao produto comercializado. A Renova é mesmo um case study. Tem design, tem cor (muitas) e até pretensões artísticas (vejam o vídeo):

Não, não é um produto de m****. Renovou-se ao longo dos tempos, tal como nós por vezes também temos necessidade de fazer nas nossas vidas.

PS: infelizmente tenho tido menos tempo para novas publicações neste blog, mas ele continua bem vivo e periodicamente renova-se.

Descobre as diferenças.

Gosto de me armar em detective. E, possivelmente, tenho algum jeito (passe a presunção). De qualquer das formas, este post é apenas um desafio: estas duas pessoas são a mesma? Não vou dizer quem são (ou é), nem dar mais detalhes. Tirem as vossas conclusões e enviem email para marcadomem@gmail.com

Obrigado.

E agora segue vídeo a condizer com a temática da espionagem:

Sempre em construção.

Ao longo da vida estamos sempre em construção, tentando ter boas infra-estruturas para depois o edifício não abanar quando estiver a crescer. Ou quando tiver terminado, sem medo das borrascas mais intensas. Mas elas acontecem, e por vezes tudo abana. Importa é que a construção fique de pé, tapando-se as rachas e as fissuras que ficaram como provas das intempéries.

Tal como na natureza, também na vida há ventos e ventos. Os que hoje parecem ser adversos amanhã podem ser favoráveis. E vice-versa. Por vezes é tudo uma questão de momento. Mas quase tudo tem a sua lógica mesmo que por vezes se opte com o coração. Ou será o contrário? Primeiro vem o instinto e a seguir é que damos uma lógica a isso? Lá está, é como o vento, como as correntes. Como a vida. Sempre em permanente movimento e (des)construção.

E, como se diz metaforicamente, quando se fecha uma porta, abre-se uma janela. Ou outra porta. É entrar, por favor.

PS: este post teve a participação da Homebook e de dois dos seus imóveis (ver aqui e aqui). As fantásticas fotos são da Sara Ferreira.

2hot 2handle? Get a sun protection.

Protectores Solares Garnier

Garnier Ambre Solaire protectores solares 50+. Duas versões: formato poupança e crianças.

Está um calor que não se pode. O conveniente é ficar à sombra ou no ar condicionado (para mim só em último caso), beber muitos líquidos (água, de preferência). Quem se atreve ao Sol, e para os clarinhos como eu, é essencial aplicar um protector solar, mas daqueles bons e com um elevado SPF (sun protection factor, isto para ser mais fino).

Alguns especialistas dizem que não há grande diferença entre um SPF 15, 30 e 50+ mas nunca fiando. Eu uso 50+ porque não vou cá em facilitismos. E uso também um baton protector para os lábios, pois o sol dá cabo deles e sou muito propenso a herpes labial.

Ok, vão lá aproveitar o Sol e dar uns belos mergulhos, mas o Sol é com parcimónia e os mergulhos não (só se forem doidos suficientes para mergulharem numa banheira, algo que desaconselho).

Enjoy the sun! Mas com a devida protecção…

E agora um vídeo com uma canção quente e brilhante:

Mas que tem o respectivo antídoto:

Parabéns à resiliência das mamãs e dos papás.

Bolo de aniversário 12 anos

Bolo de aniversário (obviamente).

Não tenho filhos, por isso sou capaz de estar a falar de cor. Mas sou capaz de calcular o esforço, a paciência e o bom-senso para criar a criançada, principalmente quando esta entra na adolescência.

É um período lixado, safa! As hormonas aos pulos, o desafio da autoridade maternal e parental, a idiotice sempre presente, as respostas tortas, os amuos, as exigências, as ameaças das redes sociais, etc.

Por vezes tem de se dar um murro na mesa e isso até pode arruinar um momento ou um dia, mas há pais que evitam isso para não se estarem a chatear. O problema é que poderão estar a criar monstrinhos egoístas, fúteis mas que (infelizmente) não estão a viver numa realidade faz de conta.

É tudo uma questão de compromisso e de muita pachorra. Mas desde já o meu elogio a todas as mamãs e papás que se comprometem com os seus filhos de uma forma equilibrada, nem que para tal isso custo alguns choros, birras e cabelos brancos (nas cabeças dos pais).

Melancia cortada

Melancia cortada aos pedaços.

Tudo isto vem a propósito da festa de aniversário que a minha namorada preparou para a sua filha: um fim-de-semana num bungalow no Parque de Campismo de Monsanto. É um sítio a ter em conta para um evento destes: tem muito espaço, uma piscina e, apesar de não ser nada do outro mundo, pode proporcionar momentos únicos.

Agora digo-vos uma coisa: não façam isto com mais de 4 ou 5 miúdas  de 12 anos (já armadas em lolitas) ou com 3 ou 4 rapazolas na mudança da voz. God, pode ser um pesadelo! Mas pronto, faz-se só uma vez e basta!

Por isso, e por muito mais, parabéns a todos as mamãs e papás que realmente se importam com os seus filhos, mesmo quando estes os levam ao desespero e só apetece dar-lhes uns valentes estalos.

E agora um vídeo para ver, sorrir e meditar: