É boss a marcar.

É preciso sublinhar isto: quando é para realçar uma palavra ou uma frase não há nada como um marcador Stabilo Boss Original. São úteis, adaptam-se bem a qualquer mão, têm um design bem cool, e, no meu caso, gramo à brava o som viciante quando se fecha a tampa (eu passo a vida a abrir e fechar o raio do meu marcador verde).

Na foto o Stabilo Boss está em boa companhia. Tem sempre por perto uma Parker Jotter (já falei dela aqui). É uma dupla imbatível. A caneta escreve e rabisca, o marcador destaca o que é mais importante e urgente.  E eu fico mais contente.

E eis um vídeo marcante:

Escrever torto mas com estilo.

Parker pen
Parker Jotter (foto minha).

Tenho uma letra horrível. Mesmo. E ainda sou do tempo em que se aprendia a escrever com caneta de tinta permanente, na escola primária. Um tormento, a minha caligrafia foi/é (quase) sempre uma bodega. Lembro-me ainda de uma caneta de tinta permanente Parker que o meu pai tinha. Aliás acho que tinha várias, mas uma delas exibia um aparo com banho em ouro (acho que não é mito). Seria uma Parker Vacumit verde? Já não sei precisar mas calculo que sim.

Parker Vacumit

Parker Vacumit, foto retirada do Pinterest de vintagefountainpens.co.uk.

No entanto, a minha caneta preferida é uma esferográfica, também da Parker. Descobri hoje que é uma Parker Jotter. Já tive pelo menos uma em bordeaux e hoje tenho duas em preto. Uma delas serviu para abrir uma porta! (cortesia de uma idiota com quem trabalhei, mas resistiu à função inadequada). São fantásticas! Design simples, sempre vintage, classy e também sexy. Escrevem bem, muito bem mesmo. E fazer clique com o polegar numa Parker Jotter é uma maravilha viciante! Ok, estas canetas podem não melhorar a beleza da minha letra mas isso é defeito meu, não do material…
E agora 1 filme sobre a Jotter: